Ataque mata 22 na fronteira do Paquistão e Afeganistão

Por Ibrahim Shinwari JAMRUD, Paquistão (Reuters) - Um suicida matou ao menos 22 policiais de fronteira do Paquistão nesta quinta-feira em um ataque na principal passagem para o Afeganistão, informaram autoridades do governo.

Reuters |

Foi o primeiro grande ataque no Paquistão desde que o chefe do Taliban paquistanês, Baitullah Mehsud, foi assassinado em uma ofensiva aérea norte-americana em 5 de agosto e aumenta o temor de que os militantes, que segundo autoridades estariam enfraquecidos, estejam retomando os ataques.

A explosão ocorreu enquanto os guardas estavam entregando o jejum pelo mês sagrado para os muçulmanos do Ramadã.

"Os guardas estavam entregando o jejum quando um menino adolescente carregando uma garrafa de Pepsi andou até eles e se explodiu", disse Wakil Khan, uma testemunha que estava na passagem de fronteira em Torkham.

Nasir Khan, uma autoridade do governo da região de Khyber, disse que 22 pessoas morreram.

O Paquistão tem sido atingido por uma série de ataques suicidas nos últimos dois anos, lançados por militantes relacionados à Al Qaeda que lutam contra o governo devido ao seu apoio à liderança norte-americana na campanha contra a militância islâmica.

As forças de segurança tiveram ganhos significativos em uma ofensiva contra o Taliban paquistanês no Vale do Swat, a noroeste de Islamabad, desde abril deste ano, e também têm atacado os aliados de Mehsud na região do Waziristão do Sul, na fronteira com o Afeganistão.

Na manhã desta quinta-feira, dois mísseis que podem ter sido lançados por um avião norte-americano explodiram um esconderijo militante, matando seis combatentes no Waziristão, informaram autoridades da inteligência.

O Taliban vinha negando a morte de Mehsud há semanas, mas na segunda-feira dois de seus assistentes, Hakimullah Mehsud e Wali-ur-Rehman, confirmaram que seu líder tinha sido assassinado.

Hakimullah, que liderou os militantes nas regiões tribais de etnia Pashtun em Khyber, Orakzai e Kurram, foi escolhido como o novo chefe supremo do Taliban no Paquistão.

Autoridades de segurança disseram que eles estão esperando ataques em represália vindos dos homens de Hakimullah e que a explosão desta quinta-feira em Khyber pode indicar que ele está determinado a retomar a luta contra o governo.

A ação do Paquistão contra os militantes do seu lado da fronteira é vital para os esforços do governo dos EUA para trazer estabilidade ao Afeganistão.

O Taliban paquistanês está aliado ao Taliban do Afeganistão, mas Mehsud direcionou seus ataques às forças de segurança paquistanesas.

Algumas facções do Taliban afegão, que tem bases nas terras ilegais de Pashtun no lado paquistanês da fronteira, foram contra os ataques no Paquistão, dizendo que todos os combatentes devem se concentrar em expelir as forças ocidentais do Afeganistão.

Os governos ocidentais com forças no Afeganistão estão observando para ver se um novo líder do Taliban paquistanês deve mudar o foco, da luta contra o governo do Paquistão para apoiar a insurgência afegã.

(Reportagem adicional de Zeeshan Haider)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG