Gaza - Uma menina palestina de nove anos e dois milicianos do Hamas morreram hoje vítimas de ataques israelenses no povoado de Al-Qarara, no sul da Faixa de Gaza, informaram fontes médicas palestinas.

A última vítima mortal foi um ativista do braço armado do Hamas, as Brigadas de Ezedin al-Qassam, que morreu em um ataque aéreo ao leste do campo de refugiados de Jabalya, no norte de Gaza, no qual dois de seus companheiros também ficaram feridos.

No início da manhã, a menina Hadil al-Sumiri perdeu a vida após sua casa ter sido atingida por um projétil lançado por um tanque israelense que feriu outros três membros de sua família.

Após suas primeiras investigações, o Exército israelense não confirmou nem desmentiu o incidente, se limitando a indicar que um tanque destruiu uma plataforma de lançamento de foguetes na região.

Um porta-voz militar ressaltou ainda que as milícias palestinas lançaram da lá foguetes Qassam e bombas contra povoações do sul de Israel, matando um civil israelense na semana passada.

Nesta mesma localidade, um projétil feriu hoje de forma leve um israelense ao atingir uma fábrica de tintas.

Pouco depois, também em Al-Qarara, Mohammed Said, um ativista do braço armado do Hamas, as Brigadas de Ezedin al-Qassam, morreu em um tiroteio com soldados israelenses.

Seu corpo foi levado para um hospital uma hora após sua morte, informou o chefe do serviço de emergências do Ministério de Saúde palestino, Moawiya Hasanein.

O Exército israelense impediu as ambulâncias de prestarem auxílio imediato ao miliciano, pois seu corpo jazia próximo à cerca fronteiriça entre Gaza e Israel, indicaram residentes.

Por outra parte, na Cisjordânia, o Exército israelense prendeu 28 palestinos durante a madrugada, afirmam fontes das duas partes.

A maior parte das prisões aconteceu em Nablus, Tulkarem, Belém e Hebron, assim como no campo de refugiados de Jenin, informam as fontes de segurança palestinas.

Leia mais sobre: Faixa de Gaza

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.