Ataque em frente à embaixada alemã mata 5 em Cabul

Um ataque com carro-bomba em frente à embaixada da Alemanha matou quatro civis, um soldado americano e feriu cerca de 20 pessoas neste sábado, em Cabul, no Afeganistão. O atentado ocorreu em uma pequena rua que liga a embaixada a uma base militar dos Estados Unidos.

BBC Brasil |

Cinco soldados americanos e um civil ficaram feridos no ataque, no distrito de Wazir Akbar Khan. Uma criança também estaria entre os mortos.

Uma testemunha disse à BBC que a explosão incendiou vários carros e um caminhão tanque.

Em um outro ataque, na província de Nangarhar, leste do país, um civil morreu e seis pessoas ficaram feridas, incluindo três policiais. O Talebã assumiu a responsabilidade pelos dois ataques.

'Ato de covardia'

Um porta-voz do Ministério do Exterior em Berlim afirmou que vários funcionários da embaixada ficaram feridos.

O ministro do Exterior alemão Frank-Walter Steinmeier disse que o ataque suicida, o primeiro a atingir Cabul em 2009, foi um "ato de covardia", que não vai desanimar o governo alemão.

A Alemanha tem 3,2 mil soldados no Afeganistão, a maioria no norte do país.

A base dos Estados Unidos próxima à embaixada alemã é também a sede para o treinamento de policiais e soldados do Afeganistão.

E, apesar da segurança no local, este não é o primeiro carro-bomba a explodir nesta área, que é altamente patrulhada por abrigar várias embaixadas e prédios de organizações internacionais.

Em novembro, quatro afegãos foram mortos em um ataque suicida em frente à embaixada americana.

De acordo com o correspondente da BBC em Cabul, Martin Patience, de forma geral, a segurança na capital afegã vem melhorando, mas o mesmo não vem sendo observado no resto do país.

Durante a campanha, o presidente eleito dos Estados Unidos, Barack Obama, prometeu fazer do Afeganistão uma de suas maiores prioridades na área de política externa.

Obama, que toma posse nesta terça-feira, diz que quer dobrar o número de soldados americanos presentes no país. Atualmente há 30 mil soldados americanos no Afeganistão.

Leia mais sobre Afeganistão

    Leia tudo sobre: afeganistão

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG