Publicidade
Publicidade - Super banner
Mundo
enhanced by Google
 

Ataque dos EUA mata militante da Al Qaeda, diz Paquistão

Por Haji Mujtaba MIRANSHAH, Paquistão (Reuters) - Mísseis disparados pelos EUA no noroeste do Paquistão mataram até 20 pessoas na sexta-feira, inclusive um militante de médio escalão da Al Qaeda, supostamente iraquiano, segundo autoridades paquistanesas.

Reuters |

Sob anonimato, uma fonte de inteligência informou que Abdur Rehman (ou Abu Akash) vivia "uma vida luxuosa em Mir Ali", reduto para militantes islâmicos, especialmente árabes e centro-asiáticos.

Dois mísseis lançados por aviões teleguiados dos EUA caíram sobre uma casa dessa localidade do Waziristão do Norte, perto da fronteira com o Afeganistão. Uma testemunha disse que a casa pegou fogo depois do ataque. Entre 15 e 20 pessoas teriam morrido.

Pouco depois, outro suposto avião-robô dos EUA disparou dois mísseis contra uma casa de Wana, no Waziristão do Sul, onde também há concentração de militantes. Uma pessoa morreu, e outra ficou ferida, segundo uma autoridade local.

Desde o começo de setembro, os EUA já promoveram cerca de 15 bombardeios teleguiados contra regiões da etnia pashtun no lado paquistanês da fronteira, além de terem realizado uma incursão terrestre. Ao que se sabe, não houve lideranças de primeiro escalão da Al Qaeda e Taliban entre os mortos.

(Reportagem adicional de Alamgir Bitani and Zeeshan Haider)

Leia tudo sobre: iG

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG