Ataque de rebeldes deixa 13 soldados mortos no Peru

Duas emboscadas realizadas por rebeldes do grupo Sendero Luminoso deixaram 13 soldados mortos em uma área de floresta no sudeste do Peru, segundo informações do ministro da Defesa do país. Antero Flores Araoz afirmou, no sábado, que os rebeldes usaram dinamite e granadas para atacar uma patrulha militar na última quinta-feira.

BBC Brasil |

Um capitão e onze soldados morreram neste ataque, outros dois ficaram feridos e um ainda está desaparecido.

Em outra emboscada, um soldado morreu e três ficaram feridos. Segundo o ministro da Defesa, as informações sobre os ataques demoraram a chegar por causa da falta de comunicação na região.

A operação rebelde foi uma das mais violentas realizadas pela guerrilha na última década. O Sendero Luminoso voltou a lançar ataques no Peru no ano passado, depois de anos de ostracismo.

O primeiro-ministro Yehude Simon classificou as emboscadas como "uma resposta desesperada do Sendero Luminoso em face aos avanços das Forças Armadas".

"Não tenho dúvidas de que nos próximos anos essa região estará livre desta sobra de terroristas", declarou Simon.

Segundo especialistas, a guerrilha maoísta tem hoje apenas uma fração dos militantes que já teve no passado e se divide entre duas áreas produtoras de cocaína no Peru, com 500 quilômetros de distância entre elas.

Esses rebeldes fariam parte de um grupo que se recusou a baixar as armas quando o líder do Sendero Luminoso Abimael Guzman declarou o fim da revolução armada depois de sua captura, em 1992.

Os militantes são considerados especialistas em táticas de guerrilha na selva e estariam bem armados por conta dos lucros com o tráfico de drogas.

Leia mais sobre Peru

    Leia tudo sobre: peru

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG