Ataque de avião não tripulado dos EUA deixa cinco mortos no Paquistão

Informações não oficiais indicam que Badar Mansoor, chefe operacional da Al-Qaeda no país, está entre as vítimas

iG São Paulo |

Um avião não tripulado dos Estados Unidos lançou dois mísseis contra uma casa na região noroeste do Paquistão nesta quinta-feira, deixando ao menos cinco insurgentes mortos. O Taleban afirmou que uma das vítimas era o comandante Badar Mansoor, que ocupou papel de liderança na rede terrorista Al-Qaeda.

Autoridades da inteligência do Paquistão confirmaram que o ataque americano em Miran Shah, no Waziristão do Norte, matou cinco insurgentes, mas não informou se Mansoor estava entre eles. Os Estados Unidos ainda não se pronunciaram sobre o caso.

Leia também: Obama defende uso de aviões não tripulados

Getty Images
Um avião não tripulado dos EUA, modelo MQ-9 Reaper, faz voo de treinamento em Indian Springs, Nevada (08/08/2007)

Mansoor atuava como chefe operacional da Al-Qaeda no Paquistão. De acordo com um integrante do Taleban, que não quis ser identificado, ele nasceu em Punjab, a maior província do Paquistão, e se mudou para o Waziristão do Norte em 2008. Lá, teria liderado um grupo de 230 combatentes recrutados em Punjab e envolvidos em vários ataques suicidas em todo o país.

O ataque desta quinta-feira foi o segundo de um avião não tripulado americano em Waziristão do Norte nos últimos dois dias. A região, que faz fronteira com o Afeganistão, é um dos redutos de integrantes do Taleban dos dois países. Na quarta-feira, um ataque de mísseis deixou nove mortos no vilarejo de Spalga, de acordo com autoridades paquistanesas.

Os dois ataques sugerem que os EUA voltaram a usar com frequência os aviões não tripulado. As operações ficaram suspensas por várias semanas após um ataque em 26 de novembro ter matado 24 soldados paquistaneses e enfurecido as autoridades do país.

Poucos detalhes são conhecidos sobre as operações da CIA (agência de inteligência americana) com aviões não-tripulados, cujos alvos são principalmente militantes da Al-Qaeda e do Taleban na região de fronteira entre Paquistão e Afeganistão. O governo paquistanês condena o uso das aeronaves, dizendo que muitos ataques causam mortes de civis.

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, falou pela primeira vez de forma direta sobre os aviões não tripulados em uma entrevista recente. Em um evento promovido pela rede social Google Plus, um internauta perguntou a Obama sobre uma reportagem do jornal The New York Times sobre o uso de aviões não tripulados pelo Departamento de Estado dos EUA para proteger instalações diplomáticas no Iraque.

Obama confirmou o uso das aeronaves para propósitos de vigilância, mas disse que o texto era um pouco “exagerado”. “Somos muito cuidados em relação a como os aviões são usados. É importante que todos saibam que mantemos uma rédea curta", afirmou Obama, que até então tinha falado sobre a questão apenas indiretamente.

O presidente acrescentou que o número de vítimas civis causadas pelas aeronaves é “muito pequeno” e disse que o programa da CIA é fundamental no combate ao terrorismo.

Com AP e BBC

    Leia tudo sobre: euaguerrapaquistãoafeganistãoal qaedatalebanavião não tripulado

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG