Ataque contra posto policial deixa 63 mortos no Paquistão

Mais de 150 militantes do Taleban cruzaram fronteira afegã, desatando confrontos que mataram 25 soldados, 35 insurgentes e 3 civis

iG São Paulo |

Mais de 150 militantes fortemente armados atacaram um posto de controle no Paquistão, após cruzar a fronteira do Afeganistão, desatando um dos confrontos mais violentos dos últimos meses com ao menos 63 mortos - 25 soldados, 35 insurgentes e três mulheres civis.

Os confrontos, que começaram na quarta-feira e continuaram nesta quinta-feira, ocorreram quando, segundo um general paquistanês, o comando militar do país planeja realizar uma operação contra militantes em uma região tribal dentro do Afeganistão. Ele, porém, negou informações de que a ofensiva seria lançada no Waziristão do Norte, área tribal onde os EUA têm pressionado por ação.

Os choques começaram quando os militantes lançaram um ataque de madrugada sobre o posto em um vilarejo remoto na demarcação noroeste de Alto Dir, perto da fronteira com o Afeganistão. "Transferimos os corpos dos policiais e das forças paramilitares para um hospital e agora estão sendo conduzidos para suas terras natais", disse Murad Khan, oficial de polícia local.

A milícia islâmica do Taleban paquistanês, que tem fortes laços com a rede terrorista Al-Qaeda, aumentou a pressão sobre o governo apoiado pelos EUA após prometer vingar a morte de Osama bin Laden por forças especiais americanas em maio em Abbottabad , Paquistão.

O grupo intensificou os ataques suicidas, atingindo cadetes paramilitares, uma base naval, um comboio da embaixada dos EUA e outros alvos. Autoridades do governo disseram que tropas armadas foram enviadas a Dir no início desta quinta-feira para apoiar as forças de segurança. O combate durou mais de 24 horas.

"O confronto parou agora e nossas forças retomaram o controle da área", afirmou uma autoridade de segurança.

A montanhosa Dir limita ao sul com a região tribal paquistanesa de Bajaur, onde em 28 de maio cinco pessoas morreram em um ataque suicida em um mercado. Os atentados reivindicados pelo Taleban e as represálias do Exército com ofensivas pontuais contra os insurgentes são frequentes na Província de Khyber-Pakhtunkhwa, no noroeste do país, e nas zonas tribais fronteiriças com o Afeganistão.

*Com Reuters e EFE

    Leia tudo sobre: bin ladenal-qaedapaquistãoafeganistãotalebanotan

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG