Ataque contra comboio deixa pelo menos 6 mortos no Paquistão

Veículos da OTAN transportavam provisões para as tropas da organização que lutam no Afeganistão

EFE |

Islamabad - Pelo menos seis pessoas morreram e outras seis ficaram feridas em um ataque contra um comboio de provisões para as forças da Otan no Afeganistão na região de Islamabad (Paquistão) nesta quarta-feira, informou uma fonte policial citada pelo canal televisivo "Geo".

O ataque aconteceu pouco depois de 0h (pelo horário local), quando um grupo de homens armados abriu fogo contra um comboio de aproximadamente 30 veículos e caminhões-pipa que transportavam provisões para as forças da Otan que lutam no Afeganistão. Até o momento, a Polícia identificou os corpos de dois motoristas entre os mortos.

Todos os veículos pegaram fogo, e, apesar dos esforços dos serviços de bombeiros que se deslocaram à região, os incêndios só foram controlados horas mais tarde, de acordo com a fonte. Segundo o relatório preliminar da Polícia de Islamabad, o grupo de rebeldes era composto pelo menos por seis pessoas, que dispararam de diferentes pontos na zona de Sang Jani.

Várias testemunhas citadas pela "Geo" afirmaram, no entanto, que o ataque foi realizado por pelo menos 15 agressores, que usaram bombas e granadas de mão e incendiaram os caminhões-pipa um por um. Um pequeno contingente da Polícia de Islamabad chegou imediatamente ao local do ataque, mas não pôde se aproximar devido à intensidade do tiroteio, que aconteceu quando o comboio ia abandonar o lugar após reabastecimento de combustível.

"Após atacar o comboio e incendiar os veículos, os terroristas continuaram disparando indiscriminadamente para impedir as operações de ajuda e resgate", disse à "Geo" o inspetor geral da Polícia de Islamabad, Syed Kaleem Islam. Ataques como esse acontecem com regularidade no Paquistão, país pelo qual passam 80% das provisões para as tropas estrangeiras desdobradas no Afeganistão, que incluem material militar, combustível e alimentos.

O comboio se destinava à localidade de Peshawar, visando entrar ao Afeganistão pela passagem de Torkham, em uma zona perigosa onde existe grande presença de talibãs paquistaneses e afegãos. De acordo com o Islam, o local onde os caminhões reabasteciam contava com más condições de segurança, o que facilitou a ação dos agressores, que chegaram em motocicletas e dispunham de "cobertura".

A Polícia de Islamabad, com ajuda de forças de elite isolou posteriormente a região e iniciou uma operação de busca, mas por enquanto não conseguiu localizar os autores do ataque. Até o momento nenhum grupo reivindicou a autoria do atentado.

    Leia tudo sobre: iGmundopaquistãoatentado

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG