Ataque com escavadeira deixa quatro mortos e 45 feridos em Jerusalém

Jerusalém - Três pessoas morreram e 45 ficaram feridas em um ataque cometido por um palestino que usou uma escavadeira contra vários veículos por uma rua central de Jerusalém, informou a imprensa local.

Redação com agências internacionais |

Segundo fontes da Estrela de Davi Vermelha (equivalente à Cruz Vermelha), 45 pessoas ficaram feridas no incidente. Um dos feridos se encontra em estado crítico, outro em estado grave, quatro sofreram lesões moderadas e 30 tiveram ferimentos leves.

EFE
Equipe médica presta socorro a uma das vitímas

O ataque aconteceu na rua Jaffa, nas imediações do cruzamento de Sha'arei Yisreal, na entrada de Jerusalém, quando, segundo as testemunhas, um indivíduo árabe entrou em uma escavadeira e começou a atropelar pedestres e veículos que encontrou na passagem.

Uma testemunha disse à Agência Efe que o atacante entrou na escavadeira, com uma pá de grandes dimensões, e destruiu completamente um veículo dirigido por uma mulher - que morreu na hora - e onde também estava um bebê, que ficou ferido, além de outros veículos.

"Vimos o trator se dirigindo em direção aos veículos que estavam parados no sentido contrário", disse outra testemunha à televisão israelense, que identificou que a escavadeira era da empresa americana Caterpillar.

Junto ao veículo, havia um bujão de gás butano, que não explodiu.

Ônibus tombados

Dois ônibus urbanos, com pelo menos 30 pessoas a bordo cada, tombaram por causa do impacto com a escavadeira, o que deixou muitos passageiros feridos.

EFE
Escavadeira usada foi fabricada nos EUA
O atacante, que segundo diferentes veículos de comunicação locais é um palestino residente em Jerusalém Oriental, pretendia chegar a um mercado da cidade santa, e foi interceptado por agentes policiais, que tentaram entrar na cabine do veículo para impedi-lo.

Uma testemunha disse à TV israelense que, depois que o atacante conseguiu repelir dois policiais que tentavam tirá-lo da cabine, que ficaram feridos, as forças de segurança "perceberam que não tinham outra opção a não ser atirar". O "terrorista" foi morto a tiros, contabilizando a quarta vítima.

A área está isolada e várias ambulâncias e equipes de emergência foram ao local para atender os feridos, que foram levados a quatro hospitais da cidade.

Os serviços de segurança israelenses não tinham declarado nenhum alerta nem revelado que tinham informação sobre ataques em Jerusalém.

Após o ataque, a autoridades declararam o estado de emergência em Jerusalém.

*Com informações da EFE e AFP

    Leia tudo sobre: israelpalestina

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG