Gaza, 4 mar (EFE).- Dois milicianos da Jihad Islâmica morreram hoje em um ataque aéreo israelense na Faixa de Gaza, que também deixou cinco pessoas feridas, disseram fontes médicas locais e testemunhas.

O chefe do serviço de urgências do Ministério da Saúde em Gaza, Muawiya Hassanein, disse à imprensa que um míssil disparado do ar contra um veículo que circulava pelo norte da Faixa de Gaza deixou dois mortos e cinco feridos.

O ataque era uma resposta aos contínuos disparos de foguetes e bombas realizados por facções e pequenos grupos armados palestinos em Gaza contra o sul do território israelense.

Os lançamentos continuam ocorrendo, apesar do cessar-fogo declarado de forma unilateral tanto por Israel quanto pelas facções palestinas em 18 de fevereiro, que colocou fim a 22 dias de ofensiva militar israelense em Gaza, a qual deixou 1.400 falecidos e mais de 5.500 feridos.

O braço armado da Jihad Islâmica, os Batalhões Saraya al-Quds, informou que dois de seus militantes morreram no ataque aéreo contra o veículo no qual viajavam, que circulava junto às imediações do campo de refugiados de Jabalya.

Pela manhã, caças-bombardeiros F-16 da Força Aérea israelense já haviam atacado posições no sul da Faixa, à altura da localidade de Rafah, e destruíram vários túneis escavados pelos aldeões para introduzir armamento e outros equipamentos em Gaza a partir do Egito.

Um porta-voz militar israelense disse que o objetivo do último ataque aéreo foi Khaled Shaalan, um membro da Jihad Islâmica conhecido pelos disparos de foguetes Grad, de 122 milímetros e maior alcance que os Qassam. EFE sar/db

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.