Ataque aéreo dos EUA matou 47 civis afegãos, diz autoridade

Por Mohammad Rafiq JALALABAD (Reuters) - Um ataque da Força Aérea dos EUA matou 47 civis, entre os quais 39 mulheres e crianças, no domingo, na Província de Nangarhar (leste do Afeganistão), afirmou na sexta-feira uma autoridade afegã.

Reuters |

A questão das vítimas civis é um nervo exposto no Afeganistão, alimentando a idéia de que as forças internacionais não tomam cuidado suficiente ao realizar bombardeios. Isso faz diminuir o apoio à presença dos militares estrangeiros no país.

Afegãos comuns e autoridades haviam falado antes, com repórteres, sobre a morte de 23 pessoas quando um avião atacou um comboio que levava uma noiva ao vilarejo de seu novo marido, em Nangarhar.

As Forças Armadas dos EUA divulgaram um comunicado depois do incidente afirmando que não haver civis na área e que o bombardeio teve por alvo um grupo de militantes.

'Eu contesto a declaração da coalizão (liderada pelos norte-americanos) de que todos os mortos eram militantes', afirmou à Reuters, na sexta-feira, Burhanullah Shinwari, vice-presidente da câmara alta do Parlamento e coordenador das investigações sobre o incidente de domingo.

'Não há qualquer membro do Taliban ou da Al Qaeda em um raio de quilômetros desde o local do ataque. No total, 47 pessoas foram mortas, 39 das quais eram mulheres e crianças', disse pouco depois de participar de uma cerimônia religiosa realizada em nome das vítimas em Jalalabad (capital da Província).

Uma investigação também está sendo realizada sobre um outro ataque aéreo dos EUA ocorrido dois dias antes do de domingo.

Nesse, autoridades afegãs dizem que 15 civis foram mortos. Os militares dos EUA investigam o incidente de domingo.

'Nós ainda estamos investigando o ocorrido, de forma que eu não posso falar sobre detalhes neste momento', disse um porta-voz das Forças Armadas norte-americanas na sexta-feira.

'Tudo o que posso dizer é que a perda de vidas inocentes é algo trágico. Posso assegurar-lhes que os civis nunca são alvos de nossas operações e que nossas forças esforçam-se bastante para evitar baixas entre os civis,' disse.

O Comitê Internacional da Cruz Vermelha (ICRC) pediu na quarta-feira que todos os lados envolvidos no conflito tomem mais cuidado a fim de não atingirem civis.

Quase 700 civis afegãos foram mortos nos seis primeiros meses deste ano, 255 deles por forças do governo ou por militares estrangeiros. O restante perdeu a vida nas mãos de militantes do Taliban.

Em outras oportunidades, a morte de civis em virtude da ação de forças estrangeiras provocou manifestações violentas no Afeganistão.

'Ao realizar tais ataques, os norte-americanos estão criando um abismo entre o governo (afegão) e o povo,' disse Shinwari.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG