Pelo menos 35 pessoas morreram e dezenas ficaram feridas em um ataque a uma mesquita próxima ao complexo militar de Rawalpindi, no norte do Paquistão. Segundo a polícia local, pelo menos quatro atiradores abriram fogo contra os fiéis que lotavam o local durante as orações desta sexta-feira.

Testemunhas afirmam que também foram lançadas granadas no local.

Durante mais de uma hora, as forças de segurança paquistanesas e os atiradores se enfrentaram. Três dos atiradores eram homens-bomba e se explodiram no local, segundo a polícia.

De acordo com o ministro do Interior do Paquistão, Rehman Malik, as explosões fizeram com que o teto da mesquita desabasse.

A mesquita atacada era frequentada por muitos integrantes das forças de segurança, e acredita-se que a maioria dos mortos sejam militares e oficiais de reserva.

Ofensiva
Segundo a repórter da BBC em Rawalpindi Orla Guerin há movimentação de helicópteros na área atacada, o que sugere que as forças de segurança ainda estejam procurando suspeitos do ataque.

As forças de segurança do Paquistão têm sido alvo de vários ataques nos últimos meses, em meio a uma ofensiva do governo contra militantes do Talebã na região noroeste do país.

"Eles estão se vingando das operações bem-sucedidas do Exército do Paquistão nas regiões do Waziristão e do Vale do Swat", disse o ministro do Interior à rede de TV ARY.

Até agora, nenhum grupo assumiu a autoria dos ataques.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.