Ataque a joalherias em Bagdá deixa 14 mortos

Segundo Ministério do Interior, onda de roubos é realizada pela Al-Qaeda em busca de financiamento para atentados

Reuters |

Pelo menos 14 pessoas morreram nesta terça-feira durante um ataque armado contra uma dezena de joalherias situadas em um bairro no sudoeste da capital Bagdá, em uma ousada ação em que levaram ouro e dinheiro, segundo uma fonte do Ministério do Interior.

A polícia disse que pelo menos dez homens armados com pistolas, bombas e rifles Kalashnikov atacaram cinco joalherias e uma casa de câmbio em movimentada rua comercial no bairro de Bayaa, zona sudoeste da capital iraquiana.

Reuters
Policiais observam uma das joalherias atacadas nesta terça-feira

Ao menos um suspeito foi morto em tiroteio contra a polícia, quando o grupo tentava fugir em vários carros, segundo um porta-voz das forças de segurança. Habitualmente há forte presença das forças de segurança na região atacada pelos bandidos.

O porta-voz da segurança, general Qassim al Moussawi, atribuiu o assalto a insurgentes sunitas ligados à Al-Qaeda, que estariam precisando de dinheiro para custear suas operações. "É um incidente terrorista ligado a crimes conduzidos pela Al-Qaeda para obter financiamento por meio de roubos e furtos armados", afirmou o militar. Segundo ele, alguns dos bandidos usaram silenciadores para matar os ourives e roubas as lojas.

Em 10 de maio, também em Bagdá, pistoleiros com silenciadores mataram pelo menos sete soldados e policiais em postos de controle, como parte de uma onda de ataques que fizeram mais de cem vítimas fatais naquele dia.

A fonte do Ministério do Interior disse também que os bandidos plantaram bombas, mas que a polícia conseguiu desativar várias delas. Uma testemunha perto do local disse: "Ouvi uma explosão e então vi quatro cadáveres no chão, perto das lojas de ouro".

A violência vem caindo no Iraque desde a explosão de ódio sectário de 2006 e 20007, mas tiroteios e explosões ainda são comuns.

Civis fugiram de lojas e apartamentos próximos ao local do assalto, e a polícia isolou a área para fazer buscas. Moussawi disse que dois pistoleiros foram presos. A fonte do Ministério do Interior declarou que quatro policiais ficaram feridos.

Na noite de segunda-feira, um político xiita recém-eleito para o Parlamento foi baleado na frente de sua casa, na turbulenta Mosul (norte).

    Leia tudo sobre: IraqueAl-QaedaBagdáRoubo

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG