Ataque a hospital mata 10 pessoas e fere 20 na Somália

Mogadíscio, 12 set (EFE).- Um morteiro disparado pela milícia radical AL-Shabab matou esta madrugada dez pessoas e feriu outras vinte em um hospital de veteranos das antigas Forças Armadas Somalis em Mogadíscio, informou a Efe o prefeito da cidade, Mohammed Osman Dhaqahtur.

EFE |

Dhaqahtur explicou que os mortos pelo projétil de artilharia eram dez veteranos amparados no Hospital Martini: "Al-Shabab++ dispara um morteiro e, esta vez, mata a dez veteranos doentes. É o que costuma fazer", disse o prefeito.

"Condenamos este fato, que é um ato de terrorismo contra a paz e a estabilidade da Somália", recalcou.

O morteiro destruiu parte da zona residencial do Hospital Martini e matou a dez veteranos incapacitados que esperavam de madrugada receber a comida do Iftar, que os muçulmanos fazem antes de amanhecer durante o mês sagrado do Ramadã, no qual passam o dia em jejum.

As comidas do hospital de veteranos de Mogadíscio as fornecem a Cruz Vermelha Internacional e Somali.

Abdukader Abdurahman Ali, uma enfermeira do hospital, disse à agência Efe que "escutamos três morteiros, dois passaram e o terceiro nos alcançou. Matou a sete pessoas no ato e feriu a 23, das que três faleceram. Entre os feridos alguns estão muito graves e poderiam morrer".

O Governo responsabilizou a Al-Shabab de numerosas mortes de civis em ataques e afirmou que levará os responsáveis a Justiça.

O Hospital Martini acolhe desde 1980 a uma centena de soldados das antigas Forças Armadas Somalis incapacitados na guerra entre Somália e Etiópia de 1977. EFE ia/fk

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG