Astrônomos descobrem objeto mais distante do universo

SANTIAGO DO CHILE - Astrônomos de diversos países descobriram o objeto mais distante do universo, depois que um satélite em órbita detectou uma explosão de raios gama que teria ocorrido há 13 bilhões de anos, informou nesta terça-feira o Observatório Europeu do Sul (ESO, na sigla em inglês).

EFE |

EFE

Imagem divulgada pelo Laboratório Europeu, nesta terça-feira,
similar a explosão
de raios gama descoberta por cientistas

"Trata-se da explosão de raios gama mais remota já detectada, e é também o objeto mais distante já descoberto", assegurou Nial Tanvir, que liderou a equipe de observações no Very Large Telescope (VLT), no Observatório de Paranal, localizado no norte do Chile.

Na quinta-feira passada, o satélite Swift Nasa/STFC/ASI detectou uma explosão de raios gama de dez segundos de duração na constelação de Leo.

Rapidamente um grupo de telescópios localizados em diferentes partes do planeta acompanhou a explosão até que seus efeitos desaparecessem.

Esses fenômenos são invisíveis aos humanos, mas após liberarem uma intensa explosão de radiação muito energética, são detectáveis durante poucas horas na luz visível e por meio de raios infravermelhos próximos.

Através das observações infravermelhas realizadas durante as 17 horas seguintes à explosão pelo VLT, foi possível estabelecer a maior distância já observada em um objeto cósmico.

Como a luz se movimenta a uma velocidade finita, olhar mais longe no universo significa retroceder no tempo, por isso que a explosão ocorreu quando o universo tinha cerca de 600 milhões de anos.

"Agora podemos ter certeza de que explosões ainda mais remotas serão descobertas no futuro, o que abrirá uma janela para o estudo das primeiras estrelas", afirmou Tanvir.


Leia mais sobre universo

    Leia tudo sobre: universo

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG