origem exótica - Mundo - iG" /

Astrônomos descobrem novo asteróide de origem exótica

Astrônomos envolvidos na maior pesquisa mundial sobre galáxias descobriram um novo conjunto de objetos cósmicos em regiões remotas do Sistema Solar, incluindo um que teria uma origem exótica. O asteróide, identificado como 2006 SQ372, está sendo considerado anormal por sua órbita rara e composição pouco comum, de gelo e rocha.

BBC Brasil |

"O objeto tem até 96 quilômetros de diâmetro e é formado provavelmente por rocha e gelo, como um cometa. Apesar disso, nunca se aproxima do Sol o suficiente para desenvolver uma cauda", disse o coordenador da equipe de astrônomos, Andrew Becker, da Universidade de Washington.

Ainda segundo Becker, o asteróide circunda em uma órbita rara.

Simulações feitas por especialistas envolvidos no projeto Sloan Digital Sky Survey mostraram que o objeto não continuará na mesma órbita por muito tempo (pelo menos para padrões astronômicos).

"Em mais da metade dos testes, nosso novo objeto se aproximará de Netuno ou Urânio nos próximos 180 milhões de anos", disse Becker.

"Uma interação com um dos dois planetas poderia arremessar o 2006 SQ372 em uma direção desconhecida, impossível de se prever".

Cinturão cósmico
A equipe de astrônomos investigava uma região conhecida como Faixa 82 quando se deparou com quase 50 novos corpos com tamanhos de asteróides localizados em regiões remotas do Sistema Solar.

Como parte da busca pela supernova - estrelas que explodem em galáxias distantes - o telescópio robótico Sloan, baseado no Estado americano do Novo México, lança suas lentes sobre a área a cada três anos.

Ao comparar imagens feitas em noites diferentes, os astrônomos puderam identificar os asteróides à medida em que se moviam pelo céu.

Muitos dos objetos identificados são "membros normais do cinturão de Kuiper", mas outros revelaram-se surpresas para os astrônomos.

Além do asteróide 2006 SQ372, os especialistas descobriram dois asteróides Trojan, que circundam na mesma órbita de Netuno, o país mais distante no Sistema Solar.

"Júpiter tem vários trojans", disse Becker. "Sabíamos que Netuno deveria ter a mesma população de objetos, mas poucos deles haviam sido revelados antes desta pesquisa", disse o pesquisador.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG