Astrônomos descobrem grupo de galáxias gigante

O observatório astronômico europeu XMM-Newton encontrou o maior grupo de galáxias jamais visto no universo, uma descoberta que pode confirmar a existência da energia negra, anunciou nesta segunda-feira em um comunicado a Agência espacial européia (Esa).

AFP |

Este "monstro", batizado 2XMM J083026+524133, deve conter "uma massa correspondente a mil galáxias" e foi observado quando o XMM-Newton, que tem como missão estabelecer um catálogo de fontes cósmicas emissoras de raios X (planetas, cometas, quasares...) estava focalizado em outro objeto.

O J083026+524133 foi visto porque forma uma mancha muito brilhante. Observado em seguida com um potente telescópio de Arizona, se revelou um grupo de galáxias com mil vezes a massa de nossa galáxia, a Via Láctea.

"A presença deste grupo confirma bem a existência de um elemento misterioso do Universo, a energia negra", suposto responsável pela aceleração da expansão do Universo, destacou em um comunicado Georg Lamer, do Instituto de astrofísica de Potsdam (Alemanha)

"Grupos de galáxias tão grandes como este são objetos raros no Universo", indicou. "E a existência destas galáxias só pode ser explicada pela energia negra", continuou.

Segundo os astrofísicos, a maior parte do grupo situado a 7,7 bilhões de anos-luz seria formada de um gás a temperatura de 100 milhões de graus.

A equipe de astrofísicos que encontrou este grupo de galáxias estudava o catálogo de 190.000 fontes de raios X do XMM-Newton (X-Ray Multimirror Mission/Espelhos múltiplos para o estudo dos raios X), que realizou 3.500 observações em 1% do céu.

    Leia tudo sobre: espaço

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG