A cápsula espacial russa Soyuz pousou a centenas de quilômetros do seu alvo, na imensidão selvagem do Cazaquistão, no sábado. Entre os cosmonautas que acabavam de voltar da Estação Espacial Internacional estava a primeira mulher coreana a ir ao espaço, Yi So-Yeon.

Embora estivesse abalada, ela não sofreu ferimentos.

Nesta terça-feira, pela primeira vez desde a volta à Terra, os três tripulantes, entre eles a comandante americana Peggy Whitson, participaram de uma entrevista coletiva.

A novata coreana admitiu que a volta à Terra foi assustadora.

"Eu vi uma chama do lado de fora da Soyuz quando entrávamos na atmosfera. Primeiro fiquei com medo porque ela poderia incendiar-nos todos."
A reentrada na atmosfera costuma ser um momento crítico, mas dessa vez, segundo o centro de controle russo, a cápsula viajava num ângulo muito acentuado, com forças gravitacionais dez vezes maiores que as da Terra.

Os tripulantes afirmam que não tiveram culpa pelos problemas na volta ao planeta.

"Quando começamos a pousar, e pouco depois, estava tudo bem, mas depois que entramos na atmosfera o sistema mudou automaticamente para um pouso balístico, nós não fizemos nada para isso nem tínhamos por quê", disse o cosmonauta russo Yuri Malenchenko.

Há uma década as cápsulas Soyuz vêm levando e trazendo com segurança astronautas da estação espacial internacional. Agora, pela segunda missão consecutiva, problemas técnicos ameaçaram a vida da tripulação.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.