Astronautas completam com sucesso terceira e última caminhada fora da ISS

Washington - Com uma vista impressionante da Terra como cenário de fundo os astronautas Mike Fossum e Ron Garan completaram hoje sua terceira e última caminhada fora da Estação Espacial Internacional (ISS) realizando trabalhos de manutenção e retoques adicionais no laboratório japonês Kibo.

EFE |

Como parte da missão do ônibus espacial "Discovery", a caminhada tinha três objetivos fundamentais: a substituição de um tanque de nitrogênio vital para o funcionamento do sistema de ar condicionado da ISS, a finalização da instalação do "Kibo" e o reparo de uma câmera.

Durante esta missão também foi retirada uma cobertura térmica do braço robótico do "Kibo".

A caminhada de mais de seis horas começou sem problemas, a 337 quilômetros de distância da Terra e às 11h (em Brasília), meia hora antes do programado pela Nasa, e concluiu às 17h28 (em Brasília).

Os astronautas permanecerão na ISS por mais dois dias e realizarão os preparativos para retornar à Terra na próxima quarta.

Fossum e Garan, dois dos sete astronautas do "Discovery", aproveitaram para admirar a beleza do planeta azul.

"É muito diferente quando o planeta está lá embaixo. É incrível e belo", declarou Garan enquanto substituía o tanque de nitrogênio e, através de uma câmera, pôde ver a Terra enquanto a ISS e o "Discovery" faziam seu percurso sobre o Peru.

"Sim é, é uma vista impressionante, não?", perguntou a ele Fossum, enquanto o piloto Kenneth Ham lhes felicitava de dentro da ISS pelo trabalho realizado.

Esta jornada de trabalho teve tanto sucesso que sobrou tempo para Fossum limpar uma junta rotatória de uma asa dos painéis solares no lado esquerdo da estação internacional na qual foi detectada um pouco de pó.

Os engenheiros da Nasa prevêem analisar o "lixo" recolhido por Fossum para tentar determinar a causa de uma junta rotatória similar, no lado direito da ISS, ter ficado obstruída com lascas de metal.

A junta rotatória do lado esquerdo funciona com normalidade e a idéia é impedir que tenha problemas similares aos sofridos pelo lado direito.

Um dos momentos mais memoráveis para Fossum foi precisamente quando teve que substituir o tanque de nitrogênio, do tamanho de uma geladeira e de aproximadamente 253 quilos.

Carregando o tanque vazio, Fossum, na ponta de um enorme braço robótico e a 24 metros de distância do complexo em órbita, teve que dar um vertiginoso giro de um lado para o outro para recolher o novo tanque.

No sábado, os astronautas Akihiko Hoshide e Karen Nyberg testaram e movimentaram pela primeira vez o braço robótico do "Kibo", de dez metros de comprimento e que foi conectado à ISS no início desta semana.

Este primeiro movimento do braço, que consistiu em mover duas de suas seis peças rotatórias, foi realizado com sucesso, informa a Nasa.

Não está previsto o uso pleno do braço enquanto não for instalada a terceira e última parte do laboratório japonês, uma espécie de galpão para experiências no exterior da ISS e outro braço robótico menor, que serão colocados no próximo ano.

Quando "Kibo" estiver totalmente encaixado terá se completado 71% dos trabalhos da ISS e restarão sete missões de construção pendentes.

A Nasa quer que a estação internacional esteja totalmente construída até o final de setembro de 2010, quando prevê aposentar sua atual frota de naves.

    Leia tudo sobre: astronauta

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG