Astronautas chineses retornam à Terra após missão histórica

Os astronautas chineses aterrissaram como heróis neste domingo na China a bordo da nave Shenzhou VII, após o sucesso da primeira caminhada de um chinês no espaço, considerada conquista maior pelo presidente Hu Jintao.

AFP |

Shenzhou VII (Nave divina) pousou neste domingo pouco depois das 17h40 local (09h40 GMT) numa base da Mongólia interior, no norte do país, ao final de uma missão de quase três dias.

A televisão estatal mostrou ao vivo a nave espacial Shenzhou VII aterrissando, desacelerada por um imenso pára-quedas vermelho e branco.

A agência oficial Nova China indicou que os três taikonautas, como são chamados os astronautas chineses, estavam bem de saúde ao saírem da nave. Os técnicos foram de carro rapidamente até a cápsula e ajudaram os três astronautas, Zhai Zhigang, Liu Boming e Jing Haipeng, a descer.

"Estou muito orgulhoso pela nação", declarou pouco depois de chegar à Terra Zhai Zhigang, coronel da aeronáutica de quase 42 anos, de origens simples, que entrou para a história ao realizar a primeira saída espacial da China.

O foguete Longue Marche II-F, que levou a Shenzhou VII e os três astronautas, havia decolado da base espacial de Jiuquan, no noroeste da China.

Sábado, durante 15 minutos, Zhai Zhigang, realizou a primeira caminhada espacial da China.

Flutuando no vazio, ele agitou a bandeira chinesa com estrelas amarelas num gesto altamente simbólico do aumento em potência da China no seleto clube das grandes nações que conquistaram o espaço.

"Estou me sentindo bem. Eu cumprimento daqui o povo chinês e o povo do mundo inteiro", declarou do espaço o taikonauta ao Centro de controle.

Com a missão Shenzhou VII, a China se tornou o terceiro país a caminhar no espaço depois dos EUA e da ex-URSS.

"Sua saída no espaço foi um sucesso total", declarou Hu Jintao pelo rádio em conversa com o astronauta assim que este voltou para a Shenzhou VII, "É uma conquista maior para o desenvolvimento de nosso programa de vôos habitados", continuou.

Neste domingo, o primeiro-ministro Wen Jiabao acompanhou a aterrissagem do Centro de controle aeroespacial de Pequim e aplaudiu assim que a cápsula atingiu o solo chinês.

Durante sua saída ao espaço, Zhai foi buscar uma porção de lubrificante sólido que foi colocada sobre a nave antes da decolagem na noite de quinta-feira, para depois entregá-lo a Liu Boming.

Este é o tipo de tarefa que os sucessores de Zhai irão realizar para concretizar as ambições espaciais chinesas. Quando Zhai voltou para a cápsula, foi lançado um satélite, que servirá também para futuras missões.

Esta saída aconteceu durante o terceiro vôo habitado chinês, que deve permitir à China no futuro instalar módulos orbitais, de suas primeiras estações permanentes no espaço.

Para o regime comunista, o espaço é um meio de consolidar o orgulho nacional e reforçar sua legitimidade. Na internet, inúmeros chineses diziam: "Vai, China. Vai, Zhigang!"

dma/mc/lm

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG