Associação Mundial de Jornais inicia campanha contra censura na China

Paris, 23 abr (EFE).- A Associação Mundial de Jornais (WAN, na silga em inglês) colocou hoje à disposição da imprensa vinhetas, ensaios, infográficos e fotos para denunciar a censura sofrida por jornalistas na China um pouco antes do Dia Mundial da Liberdade de Imprensa, que será celebrado em 3 de maio.

EFE |

Sob o título "O desafio dos Jogos Olímpicos: Libertar a imprensa na China", a WAN lançou uma campanha para "conseguir que as autoridades chinesas cumpram as promessas de melhorar a liberdade que fizeram quando sua candidatura para sediar os Jogos Olímpicos venceu", diz a entidade em um comunicado.

As ilustrações, às quais se pode ter acesso no site da WAN, são obra do desenhista francês Michel Cambon, criadas expressamente para esta iniciativa.

"As autoridades chinesas intensificaram as medidas repressivas contra os jornalistas e outras pessoas que tentam exercer seu direito à liberdade de expressão", denunciou.

A WAN afirmou que o Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos de Pequim (Bocog, em inglês) prometeu que a imprensa estrangeira "teria completa liberdade para informar quando viesse à China". EFE jaf/fal

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG