O tom da campanha presidencial americana subiu nesta quinta-feira, com a equipe do candidato republicano John McCain acusando Barack Obama de utilizar o argumento racial.

"Obama apostou no argumento racial, e fez isso travestindo a realidade. Isso cria divisões e é negativo, vergonhoso e falso", criticou Rick Davis, diretor da campanha de McCain, em comunicado publicado nesta quinta-feira.

Davis reagia a um discurso de Obama no qual o senador de Illinois acusava John McCain e os republicanos de tentar "assustar" os americanos apresentando uma imagem distorcida dele.

"Como eles não têm novas idéias, a única estratégia que têm nesta eleição é tentar assustar vocês ao meu respeito. Eles vão tentar dizer coisas do tipo: 'ele não é patriótico o suficiente, tem um nome estranho e não se parece com todos os presidente que vemos nas notas de dinheiro, ele representa um risco'", disse Obama.

Os assessores de McCain lançaram nos últimos dias uma agressiva campanha na televisão para denunciar a suposta arrogância de Obama e para tentar apresentá-lo como um candidato indifferente às dificuldades dos americanos. Quarta-feira, os republicanos lançaram um clipe eleitoral comparando Obama às celebridades Britney Spears e Paris Hilton.

"Não presto muita atenção na propaganda eleitoral de McCain, mas notei que ele não parece ter muitas coisas positivas a dizer sobre ele mesmo. Ele não pára de falar de mim. Talvez seja preciso lhe perguntar o que defende, e não apenas contra quem ele é", disparou Obama.

Se for eleito, o senador de Illinois será o primeiro presidente negro da história dos Estados Unidos.

aje/yw

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.