Londres, 3 set (EFE).- Eric Joyce, deputado trabalhista e assessor parlamentar do ministro da Defesa do Reino Unido, Bob Ainsworth, renunciou hoje ao cargo por sua oposição à política do país no Afeganistão.

Em carta enviada ao primeiro-ministro do Reino Unido, Gordon Brown, Joyce afirma que o país não tem como justificar a morte de seus soldados em território afegão "simplesmente ao se referir ao risco de mais terrorismo em nossas ruas".

"Também não acho que possamos continuar com o atual nível de incerteza sobre o futuro de nossa presença no Afeganistão", destacou o deputado, ex-comandante do Exército do Reino Unido.

Joyce anunciou sua renúncia um dia antes de Brown pronunciar um importante discurso sobre o Afeganistão. O agora ex-assessor disse acreditar que o Reino Unido deve elaborar uma estratégia de retirada do território afegão e cortar o número de militares mobilizados nessa nação.

Além disso, o deputado criticou a contribuição de outros países da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) à missão afegã ao dizer que "o Reino Unido luta, a Alemanha paga, a França calcula e a Itália evita".

Em uma breve declaração divulgada em reação à carta de Joyce, Brown destacou a "importância do esforço no Afeganistão para derrotar o terrorismo e do apoio às nossas Forças Armadas o tempo todo".

"Estou disposto a fazer com que nada distraia meu Governo das mais cruciais destas tarefas", afirmou o primeiro-ministro.

Já Ainsworth disse não "reconhecer" o panorama descrito por seu ex-secretário parlamentar e se declarou "completamente comprometido" com as tropas do Reino Unido no Afeganistão.

Segundo a emissora pública de televisão "BBC", a renúncia de Joyce é a primeira dentro do Governo do Reino Unido pela guerra do Afeganistão e é um "verdadeiro revés" para Brown.

Joyce divulgou sua decisão depois que o Ministério da Defesa do Reino Unido informou que um soldado do país morreu hoje no sul do Afeganistão, o que eleva as baixas de suas tropas para 212 desde o início do conflito, em 2001.

No sábado passado, Brown fez uma visita surpresa ao Afeganistão, a quarta em um ano, e prometeu mais ajuda para proteger as tropas de seu país das bombas de fabricação caseira usadas pelos talibãs.

Só nos meses de julho e agosto deste ano, 41 militares do Reino Unido morreram no Afeganistão. EFE pa/bba

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.