Assessor do Governo defende partidos árabes em eleições em Israel

Jerusalém, 20 jan (EFE).- O assessor jurídico do Governo israelense, Menachem Mazuz, defendeu hoje perante a Suprema Corte de seu país a candidatura de duas legendas árabes às eleições de 10 de fevereiro, após serem vetadas pela Comissão Central Eleitoral.

EFE |

Mazuz disse aos juízes que "não há razão para impedir que se apresentem" ao pleito o partido Pacto Democrático Árabe (PDA) e a coalizão Ra'am-Ta'al, desqualificados pela comissão acusados de não reconhecerem Israel como Estado judeu, segundo aparece na Declaração de Independência, de 1948.

Segundo o assessor, as provas contra eles "são insustentáveis" e, por isso, não vê razão para impedir que concorram às eleições.

No dia 12, por iniciativa de vários partidos de extrema-direita, a Comissão Central Eleitoral israelense proibiu três partidos árabes de se apresentar às eleições gerais.

Na acalorada sessão, os deputados prejudicados acusaram a comissão, formada por representantes de todos os partidos políticos, de "racismo". EFE elb/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG