Assessor de Obama pede desculpas por comentário antiárabe do pai

O futuro chefe de gabinete de Barack Obama pediu desculpas a uma organização americana que defende os direitos dos árabes, depois que seu pai deu desrespeitosas declarações antiárabes a um jornal israelense.

AFP |

Rahm Emanuel ligou para o Comitê Árabe-Americano contra a Discriminação para repudiar as declarações dadas por seu pai, Benjamin, um médico israelense, ao jornal "Maariv".

Segundo o veículo, Benjamin Emanuel disse que a nomeação de seu filho seria boa para Israel.

"É claro que ele influenciará o presidente para ser pró-israelense (...) Por que não o faria? O quê, ele é um árabe? Não vai ficar lavando o chão da Casa Branca", afirmou Benjamin Emanuel.

O comitê disse que Rahm Emanuel lhes telefonou, dizendo: "De todo o coração, eu me desculpo pessoalmente em nome de minha família e em meu nome. Esses não são os valores nos quais fui criado, ou os da minha família".

De acordo com um comunicado do grupo, Emanuel acrescentou: "É inaceitável fazer comentários como esses contra qualquer grupo étnico, ou religioso".

O pai de Rahm Emanuel é cidadão israelense e membro do Etzel, um grupo judeu ultranacionalista que lutou contra as tropas britânicas antes da criação do Estado de Israel, em 1948.

Em 1997, Rahm Emanuel cumpriu um breve período de serviço militar em Israel.

vmt/tt

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG