Assessor de Lula defende liberdade de imprensa na Venezuela

Brasília, 4 ago (EFE).- O assessor especial da Presidência da República para Assuntos Internacionais, Marco Aurélio Garcia, que esteve em uma missão oficial em Caracas esta semana, afirmou hoje que existe liberdade de imprensa na Venezuela.

EFE |

"Se a liberdade de imprensa acabou na Venezuela, terá sido depois que viajei, porque o que vi em programas de televisão que foi dito sobre o presidente Hugo Chávez não está nos livros" de jornalismo, comentou Garcia ironicamente.

O Governo venezuelano foi criticado por diversos países, por organizações internacionais de imprensa e por opositores internos pela chamada lei contra "crimes midiáticos", uma iniciativa da Promotoria que visa a "regular" a liberdade de imprensa.

A proposta foi divulgada no meio de uma polêmica pela decisão do Governo de ordenar a retirada do ar de 34 emissoras de rádio e dois canais regionais de televisão por descumprimento de diversos requisitos legais.

Apesar do escândalo, a proposta não prosperará, pelo menos por enquanto, pois a Assembleia Nacional da Venezuela esclareceu hoje que a Promotoria não tem poderes legislativos.

Embora tenha garantido que há liberdade de imprensa na Venezuela, Garcia evitou entrar nessas polêmicas e alegou que desconhece "alguns aspectos jurídicos" sobre a lei de concessões no país. EFE ed/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG