Assessor de Abbas renuncia devido a escândalo de contrabando de celulares

Ramala, 7 abr (EFE).- Rauhi Fattouh, assessor do presidente da Autoridade Nacional Palestina (ANP), Mahmoud Abbas, e ex-presidente do Parlamento palestino, apresentou hoje sua renúncia por causa de um escândalo de contrabando de telefones celulares, no qual negou qualquer envolvimento.

EFE |

Em entrevista coletiva em Ramala, Fattouh defendeu sua inocência, mas pediu desculpas ao povo e aos líderes palestinos por tê-los deixado em "maus lençóis" com esse assunto, que se tornou público há três semanas.

Em 18 de março, funcionários da Autoridade de Alfândegas de Israel confiscaram 2.000 telefones celulares no veículo no qual Fattouh tentava entrar na Cisjordânia a partir da Jordânia.

As autoridades israelenses enviaram uma carta ao escritório de Abbas, na qual expressavam seu mal-estar com o ocorrido.

O até então deputado e assessor de Abbas costumava viajar com uma credencial VIP expedida por Israel, que lhe facilitava a saída do país e o acesso aos territórios palestinos.

Fattouh presidiu o Conselho Legislativo Palestino (Parlamento) durante dez anos, e inclusive chegou a presidir a ANP, mas brevemente e de forma interina, após a morte de Yasser Arafat, em novembro de 2004. EFE fn/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG