Quito, 20 mai (EFE).- A Assembléia Constituinte do Equador, que redige a nova Carta Magna do país, decidiu nesta terça-feira prorrogar por 60 dias suas funções, que deviam ser concluídas em 27 de maio, informou a unidade de imprensa desse organismo.

Com 103 dos 130 votos que integram a Constituinte, a Assembléia resolveu fazer uso da prorrogação de 60 dias que lhe faculta o estatuto de sua criação, aprovada em um plebiscito no ano passado.

O primeiro vice-presidente da Assembléia, o governista Fernando Cordero, indicou que se os novos prazos forem cumpridos a nova Constituição equatoriana estará pronta antes de 26 de julho.

Segundo o estatuto da Assembléia, o fórum devia funcionar por 180 dias, mas estabelecia a possibilidade de prolongar esse período por dois meses.

Cordero disse que a prorrogação permitirá à Assembléia concluir os debates e análises dos capítulos que integrarão a futura Carta Magna. EFE fa/mh

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.