Assassino em série indonésio que queria virar cantor pega pena de morte

Jacarta, 7 abr (EFE).- Um indonésio que se declarou culpado de 11 homicídios e tentou lançar um disco para relatar seus crimes sob a forma de canção foi condenado a morte após um longo julgamento, informaram hoje fontes oficiais.

EFE |

Verry Idam Henyasyah, de 30 anos, que escondeu em uma mala o corpo mutilado de namorada, sorriu e cumprimentou os jornalistas após a sentença, segundo a agência local de notícias "Antara".

A mala foi encontrada em julho do ano passado na cidade de Jombang, Java, e, através dela, Henyasyah foi detido.

Entre 2006 e 2008, ele matou e esquartejou pelo menos 11 pessoas, entre elas uma menina de apenas três anos, à qual depois enterrou no jardim da casa dos próprios pais, segundo a Promotoria.

"Trata-se de um sádico que jamais se arrependeu de seus atos", afirmou o juiz antes de anunciar a sentença para o assassino em série, cujo caso foi um dos mais acompanhados nos últimos anos na Indonésia.

Durante os cinco meses que durou o julgamento, a sala esteve lotada, em várias ocasiões, de admiradoras de Henyasyah, um ex-modelo e professor de declamação do Corão a quem pediam autógrafos e músicas.

O álbum musical que começou a compor na prisão se chamaria "Minha última performance". EFE jpm/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG