Assassino em série belga confessa também várias violações

Bruxelas, 13 jan (EFE).- O professor belga de ensino médio Ronald Janssen, de 38 anos, autor confesso de vários assassinatos, reconheceu à Polícia ter cometido também inúmeras violações, informaram hoje vários jornais.

EFE |

Janssen, que teria reconhecido nos interrogatórios a participação em 10 a 15 assassinatos, admitiu que violou várias mulheres quando era estudante em Louvain (Bélgica) no início dos anos 90.

Segundo a imprensa, a Polícia está fazendo com que Janssen confesse com um método de interrogatório que consiste em louvar suas capacidades para que se sinta orgulhoso de seus atos e queira que sejam conhecidos e valorizados.

Nos últimos dias, Janssen admitiu autoria de três assassinatos: os dois últimos em Halen (norte do país) em 1º de janeiro, quando matou a tiros sua vizinha, Shana Appeltans, de 18 anos, e o namorado, Kevin Paulus, de 20 anos, sobre quem disse em uma declaração policial que "o incomodava".

Também admitiu ter matado, após escolhê-la "ao acaso", Annick Van Uytsel, uma jovem de 18 anos cujo corpo foi encontrado em 2007 em um córrego dentro de uma sacola plástica.

Após a confissão, as autoridades belgas devem analisar o possível envolvimento de Janssen em uma série de crimes não-resolvidos no país.

Entre eles, o assassinato de Ingrid Caeckaert (26), apunhalada em 1991 em Heist; e o de Carola Titze, uma jovem alemã de 16 anos, cujo corpo foi encontrado em 1996 na Bélgica.

A Polícia também decidiu reabrir a investigação sobre os irmãos Kim e Ken Heyrman, desaparecidos em 1994, disse a mãe dos irmãos a um canal de televisão.

O corpo de Kim foi encontrado no porto de Antuérpia, enquanto nunca mais surgiram pistas sobre Ken.

A detenção de Janssen teve também consequências na Holanda, cuja Polícia informou às forças de segurança belgas sobre vários crimes não-resolvidos na região de Maastricht (sul do país), uma área não muito distante da terra natal do confesso assassino em série.

Janssen é pai de duas meninas de 11 e 8 anos e é considerado por colegas e alunos como um bom professor de desenho industrial, trabalho que desempenhava em um centro educativo de Loksbergen (no nordeste da Bélgica). EFE mvs/sa

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG