Assassino de Winnenden era depressivo, gostava de video games e armas de fogo

Tim Kretschmer, o jovem de 17 anos que matou 15 pessoas em uma pequena cidade da Alemanha antes de se suicidar, era um adolescente depressivo que gostava de armas de fogo e de video games violentos.

AFP |

Considerado um garoto "tranquilo" e "normal", ele foi, porém, tratado por depressão.

Armado com a pistola Beretta de seu pai e vestindo um traje de combate preto, ele invadiu quarta-feira seu antigo colégio e atirou a esmo, matando nove estudantes e três professoras antes de assassinar outras tês pessoas durante sua fuga, que terminou com suicídio. No total, ele disparou mais de cem balas.

Sete horas antes, cerca das 02H30 da manhã, sentado diante de seu computador no seu quarto, ele anunciou o massacre em um foro de discussão na internet, informaram as autoridades em entrevista coletiva.

"Tenho armas aqui, amanhã de manhã, irei a meu antigo colégio. Fiquem na escuta, vocês vão ouvir falar de mim amanhã. Lembrem-se bem do nome: Winnenden", escreveu Kretschmer.

"Não aguento mais essa vida que não tem sentido. É sempre a mesma coisa. As pessoas riem de mim e ninguém reconhece meu potencial", acrescentou.

A mensagem do adolescente foi lida pelo ministro do Interior da região de Bade Würtenberg, Heribert Rech.

Tim Kretschmer terminou o colegial em meados do ano passado com notas "medianas", e estava fazendo um curso de vendedor em uma escola particular.

"Ele recebeu tratamentos psiquiátricos quatro vezes entre abril e junho de 2008", declarou Siegried Mahler, o procurador encarregado da investigação.

Ele foi tratado por "depressão", mas abandonou o tratamento, acrescentou.

Nascido em uma família rica, ele tinha uma irmã mais nova com a qual mantinha boas relações. Ele costumava treinar tiro ao alvo com seu pai. Segundo Mahler, seus amigos o descreviam como uma pessoa "tímida", mas "agradável".

Ele teve uma namorada, mas estava solteiro no momento da tragédia.

Gostava de esporte, sobretudo de pingue-pongue, praticava musculação e gostava de assistir a filmes de terror.

"Examinamos o computador dele, e encontramos video games típicos deste tipo de psicopata, como Counter Strike", afirmou, por sua vez, Ralf Michelfelder, um alto funcionário da polícia local.

Perseguido por importantes forças de polícia depois do massacre no colégio, o adolescente ainda matou três pessoas, entre elas um vendedor e um cliente em uma concessionária de veículos, antes de ser surpreendido pelos policiais em um estacionamento.

Depois de ferir dois policiais, "ele foi atingido durante uma troca de tiros e voltou a arma contra si", explicou Fritz Mehl, porta-voz da polícia.

fc/yw/sd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG