Assassino de Tóquio diz que avisou que iria cometer massacre em site

Tóquio - O homem detido por matar sete pessoas e ferir outras dez no centro de Tóquio disse à polícia que havia avisado que iria cometer o massacre em um site de internet.

EFE |

Assista ao vídeo

Um site especializado em conteúdos para celulares tinha registradas várias frases nas quais se predizia o massacre ocorrido ontem, no bairro de Akihabara, no centro de Tóquio.

Reprodução
Homem matou sete pessoas e feriu outras dez no centro de Tóquio
Homem matou sete pessoas e feriu outras dez
Aparentemente, as mensagens foram enviadas em sequência, durante horas, até pouco antes do massacre, e descreviam de maneira fiel a forma como os eventos viriam a se desenvolver.

No total, sete pessoas morreram após serem atropeladas por um caminhão e esfaqueadas, enquanto outras dez ficaram feridas.

A polícia afirmou que está investigando se as mensagens foram enviadas por Tomohiro Kato, de 25 anos, funcionário de uma fábrica de peças para automóveis da província de Shizuoka, ao oeste de Tóquio.

Kato, que foi detido pela polícia na zona onde aconteceu o massacre, disse aos agentes que foi ao bairro de Akihabara "para matar pessoas, pois estava cansado do mundo".

Os comentários enviados ao site estão registrados em uma conversa com o título "Vou Matar Pessoas em Akihabara".

Na primeira mensagem enviada, às 5h21 no horário local (17h21 do dia anterior em Brasília), o assassino assegura: "Vou usar meu veículo, e se não for suficiente, usarei uma faca. Adeus a todos".

O post seguinte apontava: "Ser apanhado enquanto realizo minha missão talvez seja o pior resultado". Às 6h31 (18h31 de Brasília), ele se despede: "É a hora. Já vou".

Kato disse que alugou uma caminhonete na província de Shizuoka, que havia reservado no dia anterior, foi apanhá-la na manhã do dia do massacre e guiou até Tóquio.

Uma mensagem posterior assegura: "Não haverá atrasos por causa da chuva", e pouco antes do massacre diz: "Acabo de chegar a Akihabara".

Hoje, várias pessoas compareceram à zona e deixaram flores e outras oferendas em homenagem às vítimas.

Leia mais sobre assassinato

    Leia tudo sobre: tóquioviolência

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG