Assassino de bebês inspirou-se no Coringa, diz imprensa belga

Bruxelas, 26 jan (EFE).- Kim De Gelder, de 20 anos , preso pelo homicídio de duas crianças e uma funcionária de uma creche de Dendermonde, no noroeste da Bélgica, na sexta-feira, inspirou-se, segundo a imprensa local, no personagem Coringa, vilão dos contos de quadrinhos, TV e cinema do herói Batman.

EFE |

Segundo a Polícia, quando entrou na creche "País das fábulas", De Gelder tinha a cara pintada de branco, o contorno dos olhos de preto e a pele de laranja.

Armado com uma faca, ele foi à área dos bebês, onde esfaqueou as crianças e adultos que encontrou no caminho, causando ferimentos graves a outras 12 pessoas, além das três que matou, segundo os depoimentos.

O Coringa, interpretado no último filme de Batman ("O Cavaleiro das Trevas") pelo falecido Heath Ledger, caracteriza-se por uma maquiagem facial semelhante e tem a faca como arma preferida.

O jornal "De Morgen" destaca ainda que o crime foi cometido um ano e um dia após a morte do ator, cujo sobrenome ainda é um anagrama de De Gelder.

Os antigos amigos de Kim De Gelder descrevem-no como um jovem de poucas palavras e destacaram que suas conversas se concentravam habitualmente em informática e em filmes que assistia, geralmente de terror.

De Gelder deixou seu trabalho duas semanas antes do massacre sem informar seus familiares, e comprou três facas, um machado pequeno e um colete à prova de balas, provavelmente através de internet.

Na sexta-feira, segundo a Polícia, ele foi de bicicleta a Dendermonde, a 18 quilômetros de sua residência, com um plano onde estava marcada a creche "País das fábulas" e outras duas.

Além disso, a Polícia belga diz ter encontrado "indícios claros" de que ele também matou uma idosa em Beveren uma semana antes do crime da creche, segundo afirmou hoje o promotor de Dendermonde, Christian du Four.

Desde que foi detido pouco, após fugir do local de bicicleta, De Gelde se recusa a comer, por isso é alimentado com soro nas instalações médicas da prisão da cidade de Bruges.

Na manhã de hoje, ele falou pela primeira vez com os investigadores, embora não tenha dito nada que tenha relação direta com os fatos, segundo Du Four. EFE vl/jp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG