Tomar aspirina ou um anti-inflamatório da categoria do ibuprofeno pode reduzir os riscos de câncer no estômago, revela um estudo realizado em mais de 300.000 pessoas e publicado nesta sexta-feira no British Journal of Cancer.

As pessoas que tomaram pelo menos um comprimido de aspirina nos doze últimos meses têm 36% menos chances de desenvolver um câncer de estômago do que aquelas que não fizeram o mesmo, segundo a pesquisa.

Aquelas que tomaram um anti-inflamatório não-esteroidiano, como o ibuprofeno, veem seus riscos reduzidos em 32%.

Quanto mais se toma aspirina ou ibuprofeno, mais o risco diminui, de acordo com o estudo realizado com 311.115 pessoas durante cerca de sete anos.

A proteção não inclui, no entanto, os cânceres da cárdia, orifício superior do estômago, nem do esôfago.

"É interessante notar que nossos resultados não mostraram uma redução significativa dos cânceres da cárdia e do esôfago. Então é importante darmos prosseguimento às nossas análises", afirmou Christian Abnet, do National Cancer Institute de Maryland, nos Estados Unidos, que liderou o estudo.

Lesley Walker, diretor de Informações sobre o Câncer do organismo "Cancer Research UK" advertiu , entretanto, que ainda é "muito cedo para recomendar que as pessoas tomem aspirina para se prevenir contra esses cânceres".

lv/dm

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.