Aso diz que não vai renunciar apesar de baixa popularidade

TÓQUIO (Reuters) - O primeiro-ministro do Japão, Taro Aso, disse na segunda-feira que não vai renunciar, apesar da série de pesquisas de opinião que apontam que o apoio a ele caiu para menos de 20 por cento, no momento em que Aso tenta reanimar a economia atingida pela recessão. Yoshimi Watanabe, ex-ministro de Serviços Financeiros, disse que sairia do partido Liberal Democrático (PLD), do qual o premiê faz parte, depois de semanas criticando as políticas de Aso. O abandono demonstra a perda de poder do primeiro-ministro.

Reuters |

"Não vou abandonar a liderança", disse Aso à TV Fuji.

Os dois antecessores de Aso renunciaram depois de cerca de um ano no poder, quando os seus índices de popularidade desmoronaram. Outros ex-premiês com baixa popularidade ou renunciaram ou deixaram o cargo após a aprovação de moções de desconfiança no Parlamento.

Aso disse que agora não é a hora certa para convocar uma eleição porque a prioridade são as medidas de ajuda à economia. Uma eleição para a poderosa Câmara Baixa do parlamento será feita ainda neste ano.

Especula-se que alguns parlamentares do PLD possam sair do partido e se juntar à oposição, bloqueando as leis relacionadas ao orçamento no Parlamento nos próximos meses.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG