Asean critica detenção de Nobel da Paz birmanesa

Cingapura, 20 jul (EFE).- Os ministros de Assuntos Exteriores da Associação de Nações do Sudeste Asiático (Asean), que se reunirão amanhã em Cingapura, criticaram neste domingo a prisão domiciliar da Nobel da Paz e líder opositora birmanesa San Suu Kyi.

EFE |

Os ministros da Asean expressaram à Junta de Mianmar seu mal-estar com relação à detenção de Suu Kyi. Além disso, pediram a libertação de outros presos políticos como parte do processo de reconciliação nacional, informou o chanceler de Cingapura, George Yeo.

A Junta Militar de Mianmar, acusada pela comunidade internacional de violação dos direitos humanos, ratificou na sexta-feira passada a carta de princípios fundamentais da Associação de Nações do Sudeste Asiático (Asean), informou o Ministério de Assuntos Exteriores de Cingapura.

A adesão, segundo o comunicado, será anunciada oficialmente durante a reunião ministerial que a Asean realizará a partir de amanhã em Cingapura, país que ocupa a Presidência rotativa da organização regional.

A carta de princípios fundamentais, aprovada em novembro do ano passado pelos líderes dos dez países da Asean, pede aos Estados-membros que promovam a democracia, a boa governança e o respeito aos direitos humanos. EFE snr/bm/sc

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG