Asean critica condenação de Suu Kyi; Pequim quer respeito à soberania de Mianmar

A Associação de Nações do Sudeste Asiático (Asean) manifestou nesta quarta-feira uma profunda decepção com a condenação, na véspera, da opositora birmanesa Aung San Suu Kyi a 18 meses adicionais de prisão domiciliar.

AFP |

O comunicado da Asean foi divulgado na Tailândia, que preside a associação regional, que inclui Mianmar, no semestre.

Já a China, principal aliada de Mianmar, pediu à comunidade internacional que respeite a soberania da justiça birmanesa.

"A comunidade internacional deve respeitar totalmente a soberania da justiça birmanesa", declarou o porta-voz do ministério das Relações Exteriores, Jiang Yu.

"Como país vizinho, a China espera que as diferentes partes de Mianmar promovam a reconciliação étnica por meio de negociações com o objetivo de alcançar progressivamente a estabilidade, a democracia e o desenvolvimento", completou.

frb/fp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG