Familiares das vítimas da matança de Tiananmen (Praça da Paz Celestial), em jnho de 1989 em Pequim, voltaram a pedir justiça nesta sexta-feira às autoridades chinesas a poucos meses do 20º aniversário da repressão do movimento democrático.

Em uma carta aberta dirigida ao Parlamento chinês antes de sua sessão anual plenária da próxima semana, as "Mães de Tiananmen" pedem que os responsáveis pela matança sejam julgados e que os acontecimentos investigados.

Em 4 de junho de 1989, o exército chinês disparou contra milhares de manifestantes pacíficos nas ruas de Pequim, depois de seis semanas de protestos pró-democráticos sem precedentes.

O Partido Comunista chinês jamais ofereceu um balanço de mortos preciso e afirma que as autoridades reprimiram um leventa contrarrevolucionário.

O grupo das "Mães de Tiananmen", liderado por Ding Zilin, cujo filho adolescente morreu na repressão militar, desde então reclama justiça sem receber uma resposta.

mbx/cn

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.