As eleições dos EUA na disputa voto a voto

Barack Obama e John McCain disputaram voto a voto neste domingo, voltados para a conquista dos indecisos, na eleição presidencial americana. Segundo o site independente Real Clear Politics, Barack Obama estaria diminuindo a diferença em relação a John McCain em Ohio e Virgínia. As últimas informações são as de que o candidato democrata tem assegurados, no entanto, 278 dos grandes eleitores; o candidato republicano tem garantidos, apenas, 132.

AFP |

No sistema americano, para ser eleito, o candidato deve conseguir pelo menos 270 votos dos 538 grandes delegados do Colégio eleitoral. A eleição se concentra em cerca de uma dezena de Estados indecisos, os "swing States", suscetíveis de abalar os resultados de um campo para outro até o último minuto.

Uma pesquisa Washington Post/ABC News, publicada neste domingo, dava uma vantagem de nove pontos a Obama (53% dos votos contra 44% para McCain). O Instituto Gallup dava 8 pontos a mais para Obama: 51% contra 43% para McCain.

Com, respectivamente, 27 e 20 grandes eleitores, Flórida e Ohio são estados considerados cruciais para a eleição à Casa Branca. As vitórias de George W. Bush em 2000 e 2004 foram decididas nestes dois estados.

Muito cortejados pelos dois lados, os cerca de 6% dos eleitores americanos indecisos jogarão um papel de muita importância na eleição presidencial, e são a esperança de John McCain para conseguir reduzir a defasagem em relação ao adversário democrata Barack Obama.

Não há um "perfil típico do eleitor indeciso", observa Curtis Gans, diretor do centro de estudos do eleitorado americano da American University em Washington.

Tanto pode ser o eleitor negligente que não tem tempo de se interessar por política, ou o que não quer saber disso; mas pode ser também o que quer pensar até o último momento para tomar sua decisão, explica Gans.

Os estados considerados cruciais para a eleição de 4 de novembro são:

- Flórida (27 grandes eleitores): Um dos estados mais disputados, tradicionalmente. Em 2004, Bush recebeu seu apoio por cinco pontos de vantagem. Em 2000, foi na Flórida que se decidiu a eleição. Os resultados foram questionados, e uma nova apuração de votos foi organizada para decidir entre Bush e Al Gore. Quando a Suprema Corte determinou o fim das contagens, Bush tinha 537 votos a mais do que o adversário. Nesta quarta-feira, uma pesquisa de Quinnipiac deu a Obama uma vantagem de 15 pontos nesse estado.

- Pensilvânia (21 grandes eleitores): Em 2004, a vitória foi do democrata John Kerry. A Pensilvânia é um dos estados, cujo apoio os republicanos esperam ganhar, mas Obama também tem 15 pontos de vantagem, segundo Quinnipiac.

- Ohio (20 grandes eleitores): Em 2004, a eleição foi decidida nesse estado. Bush ficou à frente de John Kerry por menos de 120.000 votos. Nenhum republicano chegou à Casa Branca sem ganhar em Ohio.

- Missouri (11 grandes eleitores): Missouri elegeu o vencedor em todas as eleições presidenciais do século passado - salvo a de 1956 - e em 2000 e 2004. Segundo RCP, os dois candidatos estão empatados, com leve vantagem de John McCain.

- Colorado (9 grandes eleitores): Em 2004, Bush ganhou nesse estado por cinco pontos, mas o Colorado, que conta com uma importante minoria hispânica, poderá optar pelo candidato democrata. Segundo RCP, Obama contava com cinco pontos de vantagem no final de setembro.

- Novo México (5 grandes eleitores): Votou em Gore em 2000, mas escolheu Bush em 2004 por uma margem ínfima. Os hispânicos representam quase metade da população, e seu voto será decisivo. Segundo o RCP, Obama lidera as preferências.

emp/cw/sd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG