Artista britânico recria morte de Jean Charles na estação de Stockwell

Londres, 29 nov (EFE) - O artista performático Mark McGowan recriou hoje em Londres a morte do brasileiro Jean Charles de Menezes em 22 de julho de 2005 por agentes da Polícia Metropolitana, após ser confundindo com um terrorista suicida. Junto à entrada da estação de Stockwell, sul de Londres, a morte de Jean Charles foi recriada usando-se uma cabeça coberta com uma caixa de papelão que, no chão, recebeu disparos de uma pistola - também de papelão -, antes de ser coberta de ketchup. McGowan filmou a cena do lado de fora da estação, já que não foi autorizado a entrar na plataforma onde o jovem eletricista morreu. David C. West, co-diretor da Decima Gallery, de Londres, patrocinadora do evento, encarnou Jean Charles.

EFE |

Ele lembrou à Agência Efe a necessidade de atos como este para conscientizar a sociedade contra a violência.

Testemunha muda, um pequeno altar com flores, fotos, recortes de jornais e uma imagem de Nossa Senhora da Conceição Aparecida, a padroeira do Brasil, e uma pequena placa com as datas de nascimento e morte do brasileiro: "7 janeiro de 1978-22 de julho de 2005".

O artista explicou à Efe que a idéia é chamar a atenção das pessoas "que só parecem se preocupar com o Natal e 'The X Factor' (versão britânica de "Ídolos") para o acontecido".

"A Polícia executou-o e depois mentiu e tentou esconder os fatos, dizendo que era um imigrante ilegal, que tinha saído correndo e pulado as catracas do metrô", perseguido pela Polícia, "nada do que era verdade", disse McGowan.

O artista não quis interpretar a vítima nem os policiais que atiraram em Jean Charles, e limitou-se a dirigir os atores improvisados, todos os quais tiveram os rostos cobertos por caixas de papelão. EFE jr/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG