Artista americano é detido por preparar ato pró-Tibete em Pequim

Pequim, 20 ago (EFE).- O artista americano James Powderly foi detido em Pequim quando planejava realizar uma apresentação pró-Tibete na capital chinesa.

EFE |

Powderly usaria um raio laser para projetar três mensagens em locais diferentes de Pequim, aproveitando a realização dos Jogos Olímpicos, para reclamar das restrições de liberdade de expressão e a repressão que do regime chinês no Tibete.

O artista, co-fundador do grupo Graffiti Research Lab, foi detido ontem à noite e seu paradeiro é desconhecido, segundo um comunicado da organização Estudantes por um Tibete Livre (SFT, em inglês) recebido hoje pela Agência Efe.

Nathan Dorjee, um dos ativistas do grupo, disse ter recebido uma mensagem de texto do celular do próprio Powderly confirmando a prisão.

Os ativistas da SFT realizaram seis protestos pacíficos nas últimas duas semanas, que já estavam anunciados há mais de um ano.

Os ativistas participantes eram estrangeiros e foram expulsos do país asiático pelas autoridades.

O Governo chinês se comprometeu a respeitar os direitos humanos e a liberdade de imprensa e expressão por conta dos Jogos Olímpicos, mas não tem cumprido a promessa. EFE mz/dp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG