As carótidas de crianças e adolescentes obesos se parecem muito com as de adultos de 45 anos, revela um estudo apresentado nesta terça-feira nos Estados Unidos.

Os pesquisadores mediram a espessura das paredes internas destas artérias com ultra-som em 34 meninos e 36 meninas com sobrepeso e obesidade, com média de idade de 13 anos e brancos em maioria.

O aumento da espessura das paredes das carótidas, que levam o sangue ao coração e ao cérebro, indica o aumento de placas de gordura, que ameaçam obstruir estas artérias e provocar uma crise cardíaca ou um derrame cerebral.

"Constatamos que o estado das artérias desta crianças e adolescentes é mais típico de alguém com 45 anos do que de alguém de pouca idade", destacou o doutor Geetha Raghuveer, professor de pediatria da faculdade de medicina da Universidade do Missouri, em Kansas City, e cardiologista do hospital Mercy.

As paredes das carótidas dos participantes tinham uma espessura média de 0,45 milímetro, chegando a 0,75 milímetro.

"Estas crianças tinham a idade vascular (espessura das artérias) 30 anos além do normal", destacou Raghuveer, que apresentou o estudo na conferência anual da American Heart Association, em Nova Orleans (Louisiana).

js/LR/sd

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.