Arruda deixa prisão para ir ao hospital

Brasília, 18 mar (EFE).- O ex-governador do Distrito Federal José Arruda, cassado esta semana por um tribunal eleitoral em meio a um escândalo de corrupção, deixou hoje a prisão na qual se encontra há mais de um mês para tratar do coração.

EFE |

Arruda foi levado da carceragem da Polícia Federal, onde está detido desde 11 de fevereiro, até o Hospital Militar. Na unidade, ele será submetido a um cateterismo. Segundo fontes oficiais, o procedimento é para tratar de um princípio de obstrução detectado em uma artéria.

O político, de 56 anos, perdeu o cargo na terça-feira, por determinação do Tribunal Eleitoral de Brasília.

Para os juízes da corte, Arruda cometeu infedilidade partidária ao deixar o partido DEM depois de um escândalo de corrupção.

Segundo as leis eleitorais brasileiras, o cargo de governador, prefeito ou legislador pertence ao partido e não ao político eleito, por isso Arruda foi cassado.

A crise no Distrito Federal começou em dezembro do ano passado, quando foram divulgados vídeos nos quais Arruda, vários de seus colaboradores e alguns deputados apareciam recebendo propina. EFE ed/sc

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG