Arquivos e cartas de Mandela são disponibilizados em projeto online

Documentos foram digitalizados e estão dispostos em site para parecer como exibição de museu

iG São Paulo |

Os itens, que incluem cartas que Mandela escreveu para sua família que foram contrabandeadas para fora da prisão, o seu cartão de membro da Igreja Metodista de cerca de 80 anos atrás e diários escritos à mão, foram digitalizados e dispostos em um site ( archive.nelsonmandela.org ) projetado para parecer uma exibição de museu.

Livro: Mandela afirma: 'não sou santo'

Reprodução
Projeto online reúne cartas, fotografias e documentos do ex-líder da África do Sul
"Uma coisa que isso faz, imediatamente, é tornar um legado muito procurado disponível para o mundo", disse Achmat Dangor, executivo-chefe da Fundação Nelson Mandela.

O projeto, com um custo inicial de 3 milhões de dólares, foi elaborado pelo Centro de Memória Nelson Mandela e pelo Instituto Cultural Google.

É o primeiro projeto desse tipo do Google, que assegurou que o material aberto ao público têm direitos autorais originais que devem ser mantidos. O Google planeja usar o projeto como um trampolim para trazer mais conteúdo online de outras figuras históricas do século 20.

"Você pode interagir com o conteúdo. Você pode pesquisá-lo. Embora tenhamos imitado a experiência do museu, estamos agora em um lugar onde pensamos ter aumentado a experiência", disse Mark Yoshitake, que lidera o gerenciamento de projetos para o Instituto Cultural Google.

Seções

No projeto, seções como Anos Presidenciais incluem fotos com links para vídeos, textos, notas pessoais e depoimentos disponibilizados para uso em computadores pessoais e tablets.

Ndileka Mandela, a neta do ex-presidente, disse que ele sempre foi um homem progressista e está radiante pelo arquivo online.

"Embora desejássemos considerá-lo apenas nosso avô, ele é uma figura pública. A publicação das cartas que ele escreveu para vários membros da família não é realmente um problema, porque mostra às pessoas que ele é um ser humano", disse.

Graça Machel: 'Mandela quer que lutas justas continuem'

Mandela, 93 anos, foi submetido a um exame abdominal no mês passado. O ex-presidente sul-africano recebeu em 1993 o Prêmio Nobel da Paz por ajudar a derrubar o regime do Apartheid na África do Sul.

"Para um homem da sua idade, ele está indo bem. Ele não perdeu seu senso de humor", afirmou Ndileka Mandela.

*Com Reuters

    Leia tudo sobre: mandelaáfrica do sulgooglearquivoonline

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG