Arquivos de Mono Jojoy têm mais informações que os de Raúl Rayes

Mono Jojoy, número 2 da guerrilha, foi alvo de um bombardeio lançado pelos militares na quinta-feira

EFE |

As autoridades colombianas estimam que os dados dos 15 computadores, 94 memórias USB e 14 discos rígidos encontrados no acampamento do falecido chefe das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) Mono Jojoy são 11 vezes superior e mais reveladores que os achados na operação que matou o porta-voz da guerrilha Raúl Rayes, em 2008. divulgou o jornal "El Tiempo" neste sábado.

Segundo o jornal, esses dados levam a crer que as Farc restringem ao máximo o uso de telefones e outros meios eletrônicos para se comunicar por medo de serem rastreados.

As informações indicam, por exemplo, que no acampamento de Víctor Julio Suárez Rojas (Mono Jojoy), morto na quarta-feira passada em um bombardeio nas selvas do sul da Colômbia, não foram encontrados telefones celulares ou satelitais.

Entre outras coisas, detalha-se que os computadores encontrados são modelos dos anos 2009 e 2010, entre eles um que aparentemente era de uso exclusivo de Mono Jojoy.

A tela do aparelho ficou muito danificada, mas o disco está praticamente intacto e será possível aproveitar suas informações.

Outra morte

Um dos líderes da frente 45 das Farc morreu durante conflito com tropas do Exército do país registrados no departamento de Arauca, na fronteira com a Venezuela, informou neste sábado uma fonte oficial. O comandante da XVIII Brigada do Exército, general Rafael Alberto Neira Wiesner, assinalou a jornalistas que a morte do guerrilheiro, conhecido como "Hugo Hernández" "é um alívio para os habitantes do setor de Tame, que vinham sendo castigados por este sujeito com a cobrança de extorsões".

O guerrilheiro das Farc foi surpreendido, em companhia de outros rebeldes, quando recebia o pagamento de uma extorsão. "Hugo Hernández", de 35 anos de idade, sendo 17 deles à serviço das Farc, era investigado vários ataques no departamento de Cundinamarca, que tem Bogotá como capital. O guerrilheiro também é acusado de assaltos em Tame e Saravena, duas das principais cidades do departamento de Arauca.

Mono Jojoy

AFP
Corpo de Mono Jojoy chega a Bogotá
A morte de Mono Jojoy foi o mais duro golpe contra o grupo guerrilheiro Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) desde que seus dois principais dirigentes morreram em 2008.

Ele foi alvo de um bombardeio lançado pelos militares na zona rural de La Escalera, no município de La Macarena, departamento de Meta, juntamente a outros 20 guerrilheiros.

O governo da Colômbia oferecia uma recompensa de US$ 2,7 milhões por Briceño, considerado pelas Forças Armadas o líder guerrilheiro mais violento e sanguinário e acusado de centenas de assassinatos, massacres e sequestros durante o conflito interno colombiano. Ele foi o idealizador da estratégia das Farc de seqüestrar policiais e militares para trocá-los por guerrilheiros presos.

Víctor Julio Suárez Rojas, apelidado de Jorge Briceño ou Mono Jojoy, nasceu em fevereiro de 1953, em Cabrera, no departamento de Cundinamarca, e era membro do secretariado - a instância máxima política e militar das Farc.

Suárez Rojas teria se vinculado ao grupo armado em 1975 como guerrilheiro raso, e pouco a pouco foi subindo na organização até se converter em chefe militar.

Desta forma, a guerrilha perde mais um membro influente, já que Víctor Julio Suárez Rojas, o "Mono Jojoy", chefe militar das Farc, foi morto durante uma operação na última quarta-feira. EFE ocm/pa

Um dos líderes da frente 45 das Forças Armas Revolucionárias da Colômbia (Farc) morreu durante conflito com tropas do Exército do país registrados no departamento de Arauca, na fronteira com a Venezuela, informou neste sábado uma fonte oficial. O comandante da XVIII Brigada do Exército, general Rafael Alberto Neira Wiesner, assinalou a jornalistas que a morte do guerrilheiro, conhecido como "Hugo Hernández" "é um alívio para os habitantes do setor de Tame, que vinham sendo castigados por este sujeito com a cobrança de extorsões".

Desta forma, a guerrilha perde mais um membro influente, já que Víctor Julio Suárez Rojas, o "Mono Jojoy", chefe militar das Farc, foi morto durante uma operação na última quarta-feira. EFE ocm/pa

Um dos líderes da frente 45 das Forças Armas Revolucionárias da Colômbia (Farc) morreu durante conflito com tropas do Exército do país registrados no departamento de Arauca, na fronteira com a Venezuela, informou neste sábado uma fonte oficial. O comandante da XVIII Brigada do Exército, general Rafael Alberto Neira Wiesner, assinalou a jornalistas que a morte do guerrilheiro, conhecido como "Hugo Hernández" "é um alívio para os habitantes do setor de Tame, que vinham sendo castigados por este sujeito com a cobrança de extorsões".

* Com EFE e AFP

    Leia tudo sobre: Raúl RayesMono Jojoy

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG