Arquiteto da reforma econômica russa morre aos 53 anos

Por Gleb Bryanski MOSCOU (Reuters) - Yegor Gaidar, arquiteto das reformas que ajudaram a consolidar a transição da Rússia pós-soviética, mas que levaram muitos à pobreza, morreu na quarta-feira. Ele tinha 53 anos.

Reuters |

Como ministro de reforma do ex-presidente Boris Yeltsin, Gaidar provocou tanto admiração quanto raiva por ajudar a desmantelar o sistema econômico centralizado, ao liberar os preços em 1992 antes que a poeira tivesse baixado nas ruínas da União Soviética.

Chamado de "terapia do choque", suas reformas desvalorizaram as poupanças de milhões de russos e deram a alguns poucos "oligarcas" a chance de agarrar bens da ex-potência por preços muito baixos.

As políticas de Gaidar, apesar de muito prejudiciais a milhões, ajudou a Rússia na transição do comunismo, e os defensores delas dizem que as reformas, ao final das contas, impediram que a Rússia entrasse numa guerra civil após o colapso da União Soviética em 1991.

"Ele era um grande homem. Um grande cientista e um grande estadista", escreveu Anatoly Chubais, um amigo próximo e colega reformista, em seu blog www.chubais.ru.

"A Rússia teve uma sorte tremenda de ter Gaidar lá em um dos momentos mais difíceis de sua história. No início dos anos 1990, ele salvou o país da fome, da guerra civil, e do colapso", disse Chubais.

Gaidar morreu em consequência de um problema com um coágulo sanguineo em sua casa de campo, nos arredores de Moscou, às 3 horas da manhã, informou uma porta-voz. Ele estava trabalhando num artigo econômico, ela disse, acrescentando que ele não havia reclamado de nenhum problema de saúde.

Nascido em Moscou no dia 19 de março de 1956, numa família ilustre russa, Gaidar se formou em Economia na Universidade de Moscou em 1978.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG