Istambul, 24 nov (EFE) - O ministro de Assuntos Exteriores armênio, Edward Nalbandian, assegurou hoje em Istambul que existe um dialogo ativo com a Turquia com o objetivo de caminhar rumo à reconciliação entre os dois países, que não mantêm relações diplomáticas desde 1993. O chefe da diplomacia da Armênia fez estas declarações em reunião da Organização de Cooperação Econômica do Mar Negro (OCEMN, na sigla em inglês), com sede em Istambul e da qual a Armênia é presidente de turno. Nalbandian também afirmou que as negociações com a Turquia avançam em um bom ritmo e continuarão, já que não existe nenhum obstáculo. A Armênia está preparada para normalizar as relações e abrir a fronteira comum sem nenhuma condição, e esperamos que a Turquia faça o mesmo. Estabelecer relações com a Turquia interessa à Armênia.

Será positivo para os dois países", disse o ministro armênio.

A reconciliação servirá "ao bem-estar de toda a região", acrescentou.

Em 6 de setembro, Abdullah Gül se tornou o primeiro presidente turco a visitar a Armênia, ao responder a um convite do líder armênio, Serj Sarkisian, para assistir, juntos, ao jogo de futebol que as seleções dos dois países disputaram em Yerevan.

Este fato foi visto como um passo em direção à normalização das relações diplomáticas, congeladas desde 1993, quando Turquia e Azerbaijão decretaram um bloqueio à Armênia pela invasão do território azerbaijano de Nagorno-Karabakh.

A este fato soma-se as críticas pelo chamado genocídio armênio, o massacre de centenas de milhares de armênios em 1915 por parte do Império Otomano, que Ancara não admite.

No entanto, os dirigentes de Yerevan asseguraram que não farão reivindicações sobre este triste episódio da história turca.

Sobre as negociações em torno de Nagorno-Karabakh (atualmente constituído em uma república independente sem reconhecimento internacional), Nalbandian explicou hoje que a última reunião em Moscou sobre o conflito foi "muito construtiva".

"Pela primeira vez nos últimos 14 anos, os presidentes da Armênia e do Azerbaijão estamparam sua assinatura em um documento conjunto no qual se comprometem a resolver o tema de Nagorno-Karabakh de uma forma pacífica e diplomática", ressaltou.

"É preciso continuar as negociações, mas deve acontecer em um ambiente de cooperação com Estados Unidos, França e Rússia", disse, em referência ao papel do chamado Grupo de Minsk, encarregado de supervisionar a resolução do conflito.

Hoje à noite, o ministro de Assuntos Exteriores turco, Ali Babacan, oferecerá um jantar a Nalbandian no Palácio de Çiragan, durante o qual será discutido o próximo passo na aproximação entre Ancara e Yerevan: uma visita do presidente armênio à Turquia.

Outro dos temas que os chanceleres debaterão amanhã será a problemática do Nagorno-Karabakh, com o objetivo em uma futura mesa de negociações trilateral à qual comparecerão Armênia, Azerbaijão e Turquia. EFE amu/db

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.