Armas químicas da Coreia do Norte ameaçam região, diz estudo

Por Jon Herskovitz SEUL (Reuters) - A Coreia do Norte tem várias toneladas de armas químicas que pode colocar em mísseis capazes de efetuar um rápido ataque contra a Coreia do Sul, diz um relatório divulgado nesta quinta-feira pelo International Crisis Group (ICG), uma prestigiada organização não-governamental.

Reuters |

Nas últimas semanas a Coreia do Norte elevou a tensão no norte da Ásia, região responsável por um sexto da economia mundial, com o lançamento de mísseis, ameaças à Coreia do Sul e um teste nuclear no dia 25 de maio, ações que levaram a ONU a impor sanções ao país.

O relatório da ONG afirma que a visão consensual é que o Exército norte-coreano possui aproximadamente entre 2.500 e 5.000 toneladas de armas químicas, incluindo gases mostarda e sarin e outros agentes mortíferos que atuam no sistema nervoso.

"Se houver uma escalada do conflito e irromperem as hostilidades militares, há o risco de que elas possam ser usadas. Em termos de armas convencionais, a Coreia do Norte é fraca e eles sentem que poderão ter de usar as armas químicas", disse Daniel Pinkston.

A Coreia do Norte desenvolve armas químicas há décadas e pode lançá-las por artilharia de longo alcance na região de Seul -- onde vive cerca de metade dos 49 milhões de sul-coreanos -- e por meio de mísseis que poderiam atingir todo o país.

"O arsenal não parece estar crescendo, mas já é suficiente para causar um número massivo de vítimas na Coreia do Sul", afirma o relatório do ICG.

O documento diz ainda que a Coreia do Norte também mantém um programa de armas biológicas, mas Pinkston não acha que o país tenha desenvolvido plenamente esse programa.

Em outro relatório, divulgado separadamente, o ICG diz que a Coreia do Norte deslocou mais de 600 mísseis do tipo Scud que podem atingir a Coreia do Sul e cerca de 320 mísseis Rodong, capazes de alcançar o Japão.

O ICG afirmou no início do ano ter obtido informações indicando que a Coreia do Norte desenvolveu uma ogiva nuclear que poderia ser colocada num míssil Rodong -- dado repetido agora neste relatório.

Muitos peritos em armas acreditam que o país esteja a anos de distância de ser capaz de miniaturizar uma arma nuclear para colocar numa ogiva e precisa ainda de muitos testes nucleares para chegar a esse nível.

A Coreia do Norte preveniu as embarcações para que fiquem fora das águas na região da cidade de Wonsan, no leste, até o fim do mês, segundo um porta-voz da guarda costeira do Japão. Isso pode ser um indício de um possível teste nuclear na área.

(Reportagem adicional de Chisa Fujioka e Yoko Kubota em Tóquio)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG