Armas de Bush na Europa apontam para Rússia e China, afirma Fidel

O líder cubano Fidel Castro advertiu que as armas que os Estados Unidos está instalando no leste europeu ameaçam a Rússia e a China, em um artigo publicado nesta segunda-feira pela imprensa local sobre a recente cúpula da OTAN.

AFP |

"Para que os Estados Unidos quer suas bases espaciais, seus radares e plataformas de lançamento na Europa e em todas as partes se não para ameaçar a Rússia?", disse Fidel.

Afastado definitivamente do poder em fevereiro, Fidel, de 81 anos, mantém sua presença política com editoriais na imprensa, cerca de 100 em um pouco mais de um ano.

Fidel fez uma ampla compilação de notícias de agências internacionais, para concluir que "obviamente, as armas com que ameaçam a Rússia, ameaçam também a China e todos os outros países, para convertê-los em aliados ou em inimigos de um império cujo sistema econômico e político é insustentável".

Ele acrescenta ainda que "os Estados Unidos marcham para o protecionismo comercial para manter o índice de emprego no país".

Fidel afirma que para Moscou, o mercado europeu é importante pois consome "petróleo e gás, ouro, níquel e matérias primas russas".

Contudo, para a Rússia, continua Fidel, "muito mais importante que a Europa é a Ásia, cujas instituições de comércio internacional, através do Grupo de Xangai, lhe abrem mais as portas que a OMC".

cb/fb

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG