destinados à alimentação - Mundo - iG" /

Armani diz que só usa peles de coelho destinados à alimentação

Roma, 7 out (EFE).- O estilista de moda italiano Giorgio Armani afirmou hoje, em nota, que decidiu renunciar à utilização de peles de animais em suas coleções e que só usa as de coelhos já destinadas ao consumo alimentício.

EFE |

Armani se defendeu assim dos protestos organizados hoje em frente a uma de suas lojas em Milão pela organização de defesa dos animais Peta, que acusa o estilista de não ter cumprido sua promessa de que não voltaria a utilizar peles.

Também em Milão, a Peta exibirá um documentário apresentado pela atriz Gillian Anderson, conhecida por seu papel na série de televisão Arquivo X, sobre os criadouros de coelhos na França e na China, onde Armani se abastece das peles.

Armani, no entanto, reafirmou que não utilizará peles de animais, com exceção das de coelho, e "só daqueles destinados ao consumo alimentício".

No comunicado, Armani lamentou que a Peta esteja "usando o nome do casa de moda para sensibilizar a opinião pública", apesar da grife ter utilizado pouca pele nas roupas de suas coleções em comparação com outras marcas.

Além disso, considerou "reprovável" a atitude da Peta de procurar diretamente pessoas ligadas à marca para desprestigiá-la.

Nos últimos dias, a Peta convidou atores, atrizes e modelos que vestem Armani e que participam de seus desfiles, como Kristin Chenoweth, Glenn Close, Heidi Klum, Tom Cruise e Katie Holmes, a utilizarem sua influência para pressionar a grife italiana.

Os ativistas da Peta e o vice-presidente desta organização, Dan Mathews, reuniram-se hoje em frente a uma loja Empório Armani, no centro de Milão, com cartazes que mostram o estilista vestido de Pinocchio, para acusá-lo de "mentiroso" pela utilização de peles em sua coleção outono-inverno.

"Armani é um mentiroso; no ano passado tinha declarado, após ver nosso vídeo sobre os sofrimentos dos animais, que não usaria peles.

No entanto sua coleção está cheia", inclusive "nas roupas para crianças", disse Mathews durante o protesto. EFE ccg/ab/jp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG